Fund. Integrada de Cultura

A implantação básica prevê um eixo comercial, a atual estrada de contorno do morro transformada em rua, com lojas cravadas na encosta do morro, de um lado, e uma amurada para desfrute da vista panorâmica do outro e um eixo cultural que inicia na biblioteca e termina na área esportiva, formado por escadarias, uma grande arquibancada na encosta do morro, que pode ser o início da construção da vila olímpica do campus. O cruzamento desses eixos forma a esquina do campus, que também é uma praça, ou várias praças, cobertas e descobertas, que caracterizam pontos de chegada distintos. Um deles é o grande vão sob o museu (uma alusão ao sucesso do belvedere criado por Lina Bo Bardi para o MASP); outro é descoberto, mas limitado por quatro fachadas, destinado aos eventos ao ar livre e com a presença da fonte que o programa pede; finalmente, o terceiro, uma cobertura metálica, espaço funcional e neutro, que distribui, organiza e serve.

O deslocamento da zona de implantação, autorizada pelo regulamento, permitiu, além de preservar o bosque, implantar de forma econômica a grande sala de espetáculos da Opera Mérica e equilibrar os diversos volumes da composição, dando importância simbólica igual para os diferentes programas.

UMA PROPOSTA DE CENTRO CULTURAL

A Fundação Integrada de Cultura está planejada, nesta proposta, como um Centro Cultural composto de núcleos que se distinguem formalmente mas compõem um conjunto unitário e interdependente:

1 - Museu de Arte de Caxias do Sul

Os espaços denominados como “Setor das Artes” têm quase todas as características de um Museu de Arte. Optamos por completar o programa com o acréscimo de alguns itens essenciais e criar, de fato, um Museu de Arte para a cidade de Caxias do Sul.

2 - Centro de Formação e Informação

Foram reunidos num mesmo conjunto, em forma de torre, os espaços para formação (salas de ensaios e cursos) e livre fruição cultural (multimídia, auditeca), permitindo sua fácil identificação e acesso.

3 - Auditórios e Ópera

Todos os espaços de auditório foram reunidos para potencializar sua utilização. A reunião das diversas salas num só espaço permite que o conjunto funcione como um centro de atividades acadêmicas, seminários, encontros, palestras, etc. Todas as salas funcionam perfeitamente de forma isolada e a Opera Merica, além disso, tem entrada independente, simbolizando sua importância e relação com a cidade. Um pavimento técnico interliga todos os palcos e salas de apoio, racionalizando a operaçào das salas.

4 - Animação Externa

São os espaços externos, como arquibancadas, concha acústica, praças e largos propícios ao desenvolvimento de atividades culturais.

5 - Comércio / Serviços / Convivência

A rua de acesso é coberta no trecho junto ao blocos culturais, formando uma grande praça de convivência que abrigará as lojas, restaurantes e serviços, inclusive com quiosques e módulos institucionais (banco 24h, etc).

6 - Administração e Serviços

A administração da FIC localiza-se de forma discreta, mas em ponto estratégico, com diversos acessos e interligação com os serviços e garagem.

Um sistema completo de serviços técnicos e de manutenção, garagens e docas é totalmente independente da circulação do público e tem a finalidade de dotar a FIC dos recursos mais modernos de controle ambiental e potencializadores das mais variadas atividades artísticas.

 

ARQUITETURA

A arquitetura da FIC é elaborada com pedra, elemento abundante da serra e com grande valor expressivo, tijolo à vista e painéis metálicos. A combinação destes vários elementos com volumes de forma pura cria uma idéia de uma pequena acrópole cultural. A torre de tijolos à vista, com a peculiaridade de suas pequenas aberturas, cria centralidade e referência para o conjunto, sendo vista desde longe. Recursos dinâmicos e de iluminação especial podem acentuar este efeito.

O conjunto cria uma multiplicidade de espaços autônomos que estimulam o aproveitamento e as experiências artísticas e culturais. Além disso, cria-se uma série de percursos e possibilidades de desfrute espacial, povoados de intervenções de artistas especialmente convidados, que criarão por si só uma atividade cultural importante e realçará o papel da arquitetura no meio das artes. 

 

Flávio Kiefer

 

Projeto
Flávio Kiefer
Localização
Caxias de Sul/RS
Área do Terreno
12000 m2
Área Construida
10630 m2
Data do Projeto
1998
Colaboradores
Arq. Carmen Nunes, Arq. Mário Fontanive, Eng. Gilson Esteves, Arq. Gianpietro Sanzi, Acadêmicas Adriane Nogueira Sciesleski e Mariana Aver Formento