Vila Santa Thereza

O projeto Vila de Santa Thereza teve origem no movimento da comunidade de Bagé em defesa de um conjunto de edificações que, do ponto de vista histórico, arquitetônico e cultural, precisa ser valorizado com vistas à preservação da memória de uma parte fundamental de nossa formação como sociedade: a economia do charque e a vida social e cultural que se criou em torno dela, no final do século XIX e início do século XX. Trata-se de um raro conjunto de bens culturais que testemunham um importante momento da cultura urbana e industrial da Região da Campanha.

A história da Vila Santa Thereza está associada a figura ímpar do Visconde Ribeiro Magalhães, personagem de grande tenacidade e marcante capacidade empreendedora, que foi capaz de construir, em plena Campanha do século XIX, um aglomerado urbano que oferecia moradia, cultura, lazer e consumo aos operários de suas indústrias de carne. Nesse sentido, Santa Thereza não nos conta apenas a história de um empreendimento econômico, mas também de uma utopia cultural na campanha, a mais de um século.

 

O trabalho de valorização e recuperação desse bem histórico é da Associação Pró Santa Thereza [1] e a produção cultural da Telos Empreendimentos Culturais, com patrocínio da Copesul/Brasken, Eletrobrás, Lojas Obino e Supermercados Peruzzo e apoio da Prefeitura Municipal de Bagé.  Os projetos ficaram a cargo do arquiteto Flávio Kiefer, que coordenou uma equipe multidisciplinar.

[1] Liderada por Ierecê Belmonte Moglia, Maria Luisa da Luz e Eliane Simões Pires.

Projeto
Flávio Kiefer
Localização
Bagé/RS
Área do Terreno
3800 m2
Área Construida
850 m2
Data do Projeto
2004
Colaboradores